segunda-feira, julho 24, 2006

Que tontos!

Estava muito bem a comer uma sardinha quando ela se precipitou para o meu goto..

Apesar de pequenina, não quis passar despercebida..picou de um lado..picou do outro e.. já mais ambientada, acomodou-se do lado direito. Satisfeita com a sua nova casa, sentou-se à espera da entrega do material para a decoração. “Nunca mais?.. Mas.. de que é que esta pessoa está à espera?” Impaciente, voltou a dar uma picadinha do lado esquerdo e, não conseguindo reacção decidiu que tinha de ser mais agressiva. Preparou-se uma vez, preparou-se duas.. e zzuuttt...... lançou-se como uma seta ao lado direito da garganta. Não teve que esperar muito tempo até ver passar uma verdadeira cascata de água.. “hummm refrescante..mas a minha ideia não é bem essa..” Era preciso provocar mais um bocadinho..por isso, sem sair do mesmo lugar, começou a abanar o corpo..não iria parar até obter aquilo que queria. E, assim foi.. o miolo do pão mastigado, chegou sob a forma de uma pasta moldável a que ela logo se agarrou. “Ahá!” Forrou a zona escolhida e preparou-se para dormir..
“Que tontos!” Foi o último pensamento da espinha antes de adormecer. Provavelmente por saber de experiência vivida, que as espinhas nunca chegam a desaparecer da nossa garganta..simplesmente deixamos de senti-las, por dormirem embrulhadas no pão..