domingo, junho 18, 2006

CHUMBADO



Ele há alturas em que só pela extinção humana, voluntária ou involuntária, é que nós lá iamos...

Não nos chega ter-mos de enfrentar, todos os dias, os discursos prepotentes dos patrões, Estado ou chefe, a exigirem-nos mais produtividade, mais eficácia, mais concentração, tudo isto por piores salários e menos direitos... e quando até respondemos pela positiva, até somos um exemplo de sucesso, até admitimos abdicar de uns quantos direitos pela preservação do bem maior... e tudo continua a correr invariavelmente mal... Então... só apetece mesmo carregar na tecla "delete" e começar tudo de novo. E quando digo tudo, é mesmo tudo, começar do princípio ...
logo a seguir ao caos, que é afinal para onde nos deslocamos.

Podem perguntar-me: - porquê o desabafo? ( confesso que até nem gosto muito da palavra, mas foi a melhor que encontrei, no momento!)
Porque hoje, nem quando as pessoas se esforçam realmente, nem quando se empenham e se adptam, têm uma qualquer garantia de preservarem um direito, que todos nós, a tal humanidade, defendemos ao longo de séculos, o direito ao emprego.
E não pensem que sou da velha guarda, da defesa intransigente de empoeirados direitos sindicais.
Não. O que me chateia e muito é que à conta da "dita" globalização, promove-se o dumping social, eliminam-se com a maior leveza postos de trabalho e apagam-se sem qualquer remorso, vidas, vidas de pessoas.

O que a General Motors se prepara para fazer em Portugal foi já feito vezes sem conta noutros países, tendo se calhar, Portugal beneficiado com isso... mas é este o caminho que queremos? vale tudo desde que seja mais barato?

A macro economia, as multinacionais, até os nossos "merceeiros de bairro" certamente me responderão que sim... que este é o único caminho, para o qual não há desvios ou atalhos.
Eu quero acreditar que não... e por muito naíve que pareça ou reaccionário ou "fora deste tempo"... tenho uma proposta a fazer. Se a excelência (que até pode ser rara) do trabalho dos funcionários da OPEL da Azambuja não merece qualquer atenção, se as ajudas e subsídios que o estado português ofereceu à General Motors para aqui se implantar não merecem qualquer cuidado... então a General Motors passará perfeitamente sem consumidores portugueses... sem compradores de automóveis ou outros produtos da marca.
Será talvez um fraco protesto... sem repercussões económicas significativas... mas poderá ser pelo menos a expressão da nossa INDIGNAÇÃO.

P.S. - Não me esqueço que outras pessoas em Portugal dependem ou poderão depender da Opel, but...

2 Comments:

Anonymous primo do adamastor said...

apoiado. sim á excelência e respectivas recompensas. está na hora de de o consumidor ter também uma opinião nesta história de empresas deslocalizadas e a fins

11:37 da manhã  
Blogger olharapo said...

Remeto-me para a desiludida opinião de que o que continua a valer é a lei do mais forte.

3:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home