quarta-feira, abril 26, 2006

O ÚLTIMO DA FILA


Este fim de semana fui até à Antártida. Segui a marcha do pinguim imperador, tal como está documentada
no filme de Luc Jacquet, "A marcha dos pinguins". Para além de rapar um frio imenso, descobri que alguns costumes destas sábias aves, deviam ser adoptadas por nós. Por exemplo, existe um maior número de femeas do que machos, o que no acto de acasalamento obriga a serem estas a fazerem a corte aos machos, que se limitam a observar e a mandar piropos. Depois, durante esse Inverno o casal é incrivelmente fiel, mas no Inverno seguinte "vamos lá conhecer gente nova".
Outra boa ideia. Após botar o ovo a femea parte para ir buscar alimento, enquanto o macho com a desculpa de ficar a chocar o ovo, pode ver boas series na tv, ou contar anedotas aos amigos e vizinhos, que se aconchegam uns nos outros para se protegerem do frio. Por fim, ideia genial, quando as crias saiem do ovo e ganham penugem, os machos partem para o oceano, para nadar e curtir a vida, sem compromissos nem laços. Infelizmente a vida de pinguim também tem algumas grandes desvantagens, como por exemplo terem sexo só uma vez por ano, ou aguentarem sem comer durante 4 meses enquanto esperam o regresso das femeas , que
por lapso se atrasaram, aproveitando os saldos de inverno.

1 Comments:

Blogger passarola said...

confesso, amigo monstro, que este exemplo da natureza, embora relatado com ligeiras nuances de monstro macho... não me parece ser coisa para desprezar...enquanto o macho fica a tratar da casa, limpar o pó, mudar as fraldas... a fémea põe-se a milhas...com a desculpa que vai procurar alimento...resta saber, que tipo de alimento...

2:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home