domingo, fevereiro 19, 2006

PÂNICO


Sessão de cinema numa sala Lusomundo. Antes de começar o filme, uma vez mais, passa aquele spot horroroso e amador, ameaçando o espectador maléfico. Você não roubaria um carro, uma mala, e por ai adiante até à menina a fazer download de filmes na net. De facto a indústria cinematográfica está em pânico. Assim como já aconteceu à sua prima indústria discográfica, receia que os seus lucros caíam para níveis irrisórios. Esquecem-se estas duas indústrias dos tempos do oportunismo, como aconteceu quando surgiu o suporte CD, em que as editoras encheram os bolsos à custa de fundos de catálogos e da integração de um novo suporte no mercado, vendendo a valores muito, mas muito acima dos custos de produção. Com o cinema aconteceu algo proximo, com regresso do público às salas nos anos 90, e os preços de bilheteira a subirem até níveis muito acima do salário médio que ganham os portugueses. Eles têm razão para estar em panico. A pirataria aumenta, a qualidade das reproduções ilegais também. Pessoalmente, numa opinião de monstro, acho bem feito. Quanto ao consumidor, penso que só tem a ganhar. Graças à crise no cinema, os grandes estúdios encostados à facilidade dos blockbusters e remakes estão desorientados. O cinema independente, com custos de produção inferiores e mais espaço de exibição ganham terreno. Na música, as grandes editoras despedem bandas, cortam nos orçamentos. O holocausto. Talvez não. Felizmente criam-se na net foruns e blogs como o MY SPACE, pessoas com ideias disponibilizam os seus trabalhos longe dos lobbies, na imprensa e rádio. Bandas como Arcade fire, Clap your hands say yeah ou Arctic monkeys começaram a ser conhecidas na net, em concertos e agora chegam ao grande público. É o ambiente ideal para desaparecerem os subprodutos criados pelas grandes editoras só para fazer dinheiro. Ficam assim os projectos válidos. Parece não haver razão para pânicos, pelo contrário caros monstros!

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

este tipo de distribuição (e o mesmo se passa com os blogs) é parecido com as hemorroidas... qualquer cara de cú as pode ter... e no fim, no meio de tanto nevoeiro, só os que são apoiados pelas distribuidoras é que conseguem ver a luz ao fundo do túnel

3:41 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home