sexta-feira, dezembro 30, 2005

TOU DE SAÍDA...

...para um novo período (leia-se ano) que se espera sempre melhor que o anterior.
Também o espero, ainda que me questione: Porque é que as pessoas dão tanta importância ao mudar da folha do calendário, se efectivamente é em cada aniversário de nascimento que cada um se deveria regosijar por ter cumprido mais um ano de vida?
Já sei que isto é só má vontade minha. Imaginem que cada vez que uma pessoa fazia anos, se punha a deitar foguetes e a bater tachos á janela. Os vizinhos não iam gostar obviamente.

BOM ANO DE 2006 PARA TODOS.

Um verdadeiro "crowd pleaser"


Estamos a falar do "my date with drew" um filme que, confesso, se não me tivessem oferecido os bilhetes não teria a mínima curiosidade em ir ver. Fui portanto sem expectativas nenhumas e fiquei surpreendido.

Mas comecemos pelo princípio. O filme fica a meio caminho entre a comédia romântica e o documentário. Em vez do tradicional boymeetsgirl temos o boyknowsgirlbutheistooshytoaskhertodatehim isto com uma dificuldade acrescida: ela é Drew Barrymore e ele, bem ele (romeiro, romeiro) não é ninguém.

A premissa do filme é precisamente arranjar forma de conseguir falar com a Drew e convidá-la para um encontro sem que seja considerado stalking por parte da entourage. Isto em 30 dias, com uma camara emprestada e 1100 dólares ganhos num concurso televisivo. Simultaneamente, é um exercício desconstruído sobre como fazer um filme quando não se tem dinheiro nem acesso às festas da elite de hollywood.

O anfitrião é bom comunicador, consegue arrastar o espectador para a sua causa e os 90 minutos passam sem um único bocejo, com muitos sorrisos e algumas gargalhadas.

Vá lá, é também um bocadito corny (nas bordas) e a linguagem é mais televisiva do que propriamente cinematográfica mas o mundo não é perfeito e com a quantidade de lixo que nos vendem como arte...

CUIDADO COM O BICHO


Eu sempre desconfiei que por detrás daqueles olhos doces dos canídeos havia uma mente de serial killer.
Nas minhas campanhas de sensibilização das populações não fui bem sucedido , mas eis que finalmente consegui uma prova da sua maldade e perigosidade. As imagens valem mais que mil palavras

quinta-feira, dezembro 29, 2005

TOP SECRET


Depois de muitos pedidos, resolvemos revelar uma parte da nossa intimidade.
Pela primeira vez divulgamos uma foto de uma reunião de trabalho aqui no nosso blog.
Sim somos nós olharapos.

terça-feira, dezembro 27, 2005

NEVOEIRO - A SEQUELA


...e do nevoeiro surge a esperança. Nada que tenha a ver com o filme de Carpenter.
Mas tendo em conta que vamos ter eleições presidenciais , e estamos a jogar com candidatos já usados, reciclados e actualizados, eis que propomos alguém mais presidenciavel do que o "messias" cavaco. É verdade, o nosso candidato é o moço Sebastião 2005, saido directamente do banco de nevoeiro mais proximo.

O QUE ESCONDE O NEVOEIRO?


Eu pergunto-me porque insiste a indústria de cinema americana em fazer remakes de obras primas de realizadores. Ainda por cima alguns dos originais não fizeram uma bilheteira considerável. E porque dão o trabalho de "refazer" a tarefeiros ignobeis, que mais mereciam ser atravessados pela espada de Aragon do que ter uma câmara á fente do globo ocular.
Isto a propósito da nova versão para o soberbo original de Carpenter "THE FOG" de 1980.
Só mesmo um giganteco banco de nevoeiro para esconder este pedaço de ......(!!!). Substituiram as personagens bem construidas de John por uma cambada de teenagers inconscientes e estúpidos e embeberam o final de pseudo significados new age/versus/shiny happy people.
Meus senhores que raio de cena é aquela no barco do "heroi", das meninas a dançar semi nuas em frente a um "marinheiro" de moderna camara de video na mão enquanto o banco de nevoeiro se aproxima.......? Arghhhhhhhhh
Enfim, espero que não estejam a pensar fazer o remake de outros filmes de Carpenter que gostei como A COISA ou O PRINCIPE DAS TREVAS.
....Ainda bem que não vi o remake do ASSALTO Á 13ª ESQUADRA.

quinta-feira, dezembro 22, 2005

NATAL

Apetecia-me dizer muita coisa, mas................
..............................................................................
..............................................................................
............................ prefiro estar calado.

Feliz Natal para quem poder e quiser.

terça-feira, dezembro 20, 2005

MICRO GUERRA DOS MUNDOS




Assim como o filme do spielberg, a guerra com este animal, o virus da gripe, é uma batalha interminável, piorando com nas sequelas. Aqui no olharapos conseguimos uma imagem ampliada do dito bicho, misto de cyberpunk com couve de bruxelas em dia cão.

quinta-feira, dezembro 15, 2005

NAUFRAGOS

Recentemente aportado a este mundo dos Blogs, fico com a sensação de que neste oceano da Internet, aqueles que se orientam com destinos e objectivos claros por entre os continentes que são os sites, são os grupos dos surfistas, enquanto que apartir das ilhotas mais ou menos desertas que são os Blogs, os naufragos solitários vão enviando garrafas com mensagens, que se espera que sejam oportunamente lidas pelos anteriores surfistas. Fico a compreender um pouco melhor o Robison Crosué, enquanto espero que o meu Sexta Feira se manifeste.
By the way... is anybody out there?

quarta-feira, dezembro 07, 2005

GUERRA DOS MUNDOS OU DAS PROBABILIDADES?

Só agora vi a "Guerra dos Mundos" de Steven Spielberg.
Será que, por ter passado tanto tempo desde a estreia, já tenha sido ultrapassado o prazo de validade e eu tenha assistido a um produto estragado?
Talvez essa seja a explicação, para que um realizador responsável por filmes como "A Lista de Schingler", "E.T." ou até para comparar com uma temática semelhante "Encontros Imediatos de 3º Grau", tenha destruído, com uma frieza só comprável com a dos Marcianos para com a Terra, uma obra que já por diversas vezes e em diversos formatos foi adequadamente adaptada.
Porque é que o Tom Cruise oscila entre o frágil ser humano deseperado pela sobrevivência dos seus filhos, e um qualquer super-herói invulnerável a quem os marcianos, não fulminam, não esmagam, não sugam e até quando o escolhem é para se "lixarem" (passe o calão), porque logo ali ele é o único a ser alvo da solidariedade dos antes aterrorizados colegas de cesto, e ainda tem tempo de fazer um malabarismo, com não sei quantas providenciais granadas - Alguém me explica como é que, estando espremido pela ventosa dos marcianos e uma das mãos do lado de fora para ser puxado, ainda consegue levar as granadas á boca, tirar as cavilhas e voltar a sair? A mim parece-me "Missão Impossível nº qualquer coisa".
E já agora gostava de saber a receita para, numa situação de pânico generalizado com uma multidão a querer fugir, toda a gente se mantém indiferente ao único carro a circular sem que imediatamente o assaltem? Há! Já me esquecia, isso sucedeu não sei quantas horas depois, e quando os nossos protagonistas já tinham saído do carro.
E que dizer da maravilha daquela auto-estrada pejada com veículos "súbitamente" paralizados, mas maioritáriamente ordeiramente arrumados na berma pelos "aterrorizados" ocupantes, imediatamente antes de se porem em fuga a pé? Claro que se não fosse assim como é que os nossos heróis poderiam circular nessa autoestrada.
Poderia continuar por mais não sei quantos milhares caracteres, qual programa de António Maria Carrilho (lembram-se? O marido da BáBá) mas tenho que acabar para me por em fuga, porque penso que não tarda nada que debaixo do chão surja, não uma máquina do outro mundo, mas o H.G.Wells, para se vingar do que lhe fizeram.
E ainda houve o descaramento, de usar directamente o texto do livro - com as devidas adaptações ao sec. XXI - no príncipio e fim do filme, alturas em que em termos de imagem existiu algo de original.

terça-feira, dezembro 06, 2005

O VACUO



Muito se tem falado de fugas aos impostos e dinheiros desaparecidos no maravilhoso mundo da construção civil. Trata-se certamente de um vacuo situado algures, qual triangulo das bermudas.
Esta semana foi descoberta um enorme vacuo na construção da nova autoestrada que liga o Porto a Lisboa, construida exactamente no percurso determinado para o futuro TGV.

("Vacuo" na ponte Senhora das Horas, Alguidares de Baixo)

sexta-feira, dezembro 02, 2005

DESCOBERTA RECONFORTANTE

Numa altura em que se publicam tantos livros muitos deles de qualidade e interesse banstante discutiveis, é estimulante descobrir as obra de George Steiner.
"No Castelo do barba Azul" é, sem dúvida, um livro extraordinário pela inteligência e profundidade das reflexões traduzidas numa linguagem clara e acessível.

quinta-feira, dezembro 01, 2005

NUM DIA COMO HOJE

Será que alguém acredita num cartaz que existiu no Verão, dizendo que a água deve ser poupada porque não caí do céu? No entanto......